"Não confiem numa pessoa, só por que ela é da mesma nacionalidade que você!"

November 16, 2016

O “Segredos de Intercambista” é um espaço criado por Priscila Sanches para que você possa compartilhar a sua história e assim ajudar e alertar outras pessoas! 

 

Para enviar ANONIMAMENTE a sua historia, clique aqui!

 

 

HISTÓRIA #7 - "Não confiem numa pessoa, só por que ela é da mesma nacionalidade que você!"

 

"Sempre costumo a dizer que não escolhi o programa de Au pair, ele que me escolheu! Fui fazer intercâmbio na Irlanda e lá surgiu a oportunidade de ser Au pair e estou aqui! 

 

Meu intercâmbio nunca foi fácil, fui com uma amiga que me abandonou na primeira semana, ela acabava colocando todos os gastos na minha responsabilidade, tanto de mercado, quanto de aluguel e etc. Eu, com medo de ficar sozinha num mundo que eu não conhecia, acabei aceitando tudo de boca calada. Mas um dia, ela arranjou um par e resolveu me deixar realmente sozinha! 

 

Foi nessa hora que me apareceu o au pair e eu resolvi abraçar... Não me arrependo, foi uma escolha boa, mas as vezes era tudo muito difícil, a minha host mom era uma mãe muito exigente e presente, achava que eu iria cuidar das crianças dela como ela cuidava ou que eu iria fazer as coisas exatamente do jeito que ela esperava ... As vezes eu pensava em ir embora, voltar pra minha terra (Santos-SP) mas ao mesmo tempo reconhecia que ela era boa, nunca me deixou faltar nada em casa, sempre perguntava se eu estava bem. 

Eu trabalhava demais, bem mais que aquilo que fui contratada, mas acho que isso faz parte e acontece com todas nós, mas não foi bem isso que vim contar, a história é mais séria... Resolvi mudar de cidade e aceitar esse au pair, fiquei longe de todos os amigos que acabei fazendo na escola, na cidade e tive que começar tudo do zero, e então conheci uma amiga! A gente se conheceu por intermédio de um grupo de au pairs no whatsapp e fiquei ainda mais feliz por saber que ela era brasileira! Ficamos amigas muito rápido, tínhamos gostos parecidos e ela era sonhadora como eu, vamos chama-la de Ra! 

Fazíamos tudo juntas, desde sair á estudar. Ela acabou renovando na mesma escola que eu e nossas kids também brincavam juntas, ela era um amor comigo! 

 

Foi então que ela conheceu o Rogério (também brasileiro)... Eu estava presente quando eles se conheceram, e de cara eu não gostei dele, ele era estranho, meio safado e tinha uns hábitos que não combinava com ela, mas ela se apaixonou perdidamente por ele, e eu fiquei de lado novamente. Eles começaram a sair, ele fez com que ela saísse do au pair e fosse morar com ele! Eu, como amiga tentei alertar! Rogério era praticamente um desconhecido, mas acabamos brigando e ela me bloqueou de todos os contatos que tínhamos! 

 

Passei um tempo na bad, é muito ruim você viver num país sozinha, sem nada pra fazer ou com quem sair, e assim se seguiu por um tempo... Um belo sábado resolvi sair, mesmo que sozinha, achei que poderia conhecer alguém, algum amigo, alguém pra conversar, conversaria até com o cara do bar se ele quisesse, estava querendo por pra fora tudo o que sentia e até ganhar um abraço! ( Sim, era meio carente!) Quando entrei no pub, avistei uma mesa bem de canto, vazia, resolvi sentar e em menos de cinco minutos uma criatura sentou ao meu lado! Sim, era o Rogério!

 

Ele puxou assunto e perguntou por que eu e a Ra deixamos de nos falar, no fundo eu sabia que ele sabia, mas acabei contando que achava que as atitudes dela estavam precipitadas em relação a ele, ele riu, mas não foi um riso legal, foi de deboche, disse que eu não o conhecia direito, e que não podia julgar uma pessoa pelo que eu ' achava' que ele era! De uma certa forma, achei que ele tinha razão, e acabamos conversando até o pub fechar! De começo achei estranho a Ra não está com ele, mas ele disse que ela tinha ido pra outro lugar com suas novas amigas! Ele foi bem atencioso, conversou comigo e até me abraçou, disse que agora eu tinha um amigo e que também daria um jeito de eu e a Ra voltarmos a nos falar, por que uma sentia falta da outra... E eu voltei pra casa, achando que tudo estava resolvido! 

 

No outro dia, domingo, eles me chamaram para ir na nova casa deles, ( Rogério, chamou em nome dos dois, até por que eu não tinha mais contato com a Ra) eles iam fazer um jantar pra comemorar que nós tínhamos nos entendido, fiquei muito feliz, passei o dia todo, tentando fazer o bolo preferido da Ra, consegui, me arrumei e levei! Quando cheguei na casa, ele me recepcionou, perguntei pela Ra, e ele disse que ela estava se aprontando, 10 minutos e nada dela ... 20 minutos, e nada dela ... Achei muito estranho, ninguém demoraria tanto para se arrumar para jantar em casa, perguntei o que estava acontecendo, ele começou a rir, só ria! 

 

Fiquei nervosa, foi quando ele levantou e me bateu, assim, do nada!

 

Me deu um tapa na cara e zuni meu ouvido até hoje, depois começou a me arrastar pela casa, pelos cabelos, ele dizia que ia me mostrar o por que que não deveria ter falado mal dele, a minha unica reação foi gritar por socorro, começar a me debater, dificultar com que ele me levasse, só de pensar, eu choro! Eu julguei a minha amiga, e acabei indo jantar na casa de alguém que também não conhecia ! Mas a missão agora era tentar fugir! Ele me levou pro quarto, e me jogou na cama, eu, que sempre demorei muito pra tomar uma iniciativa pra tudo, sabia que se eu não tomasse, ele iria me estuprar! Comecei a gritar pela Ra, e ele ficou mais nervoso ainda! Ele me mostrou onde ela estava… Lá nos pés da cama,chorando, machucada, sem reação, só chorava…  Ele olhava pra ela e dizia e que no final das contas eu tinha razão, ele não era uma boa pessoa! 

 

Eu chorei, chorei… Pedi por favor, pra que ele me deixasse ir embora, eu não tinha feito nada, ele não precisava fazer aquilo! A minha salvação, foi meu celular, que estava dentro do bolso, consegui pegar o celular e discar a discagem rápida… Quem era a minha discagem rápida? Sim, minha host mom! 

 

Consegui ligar pra ela, mas ela não entendia por que eu estava gritando em português com ele! Ele tentava tirar o telefone de mim, e eu tentava pedir socorro pra ela! A minha sorte foi que eu e a host mom sempre tivemos o costume de avisar pra onde íamos, e com quem estávamos, eu nao sabia bem onde era a casa deles e tinha pedido informação pra ela naquele mesmo dia! Ela fez um mapinha de caneta, e me deu, a minha sorte foi que ela não esqueceu! Ela acabou falando com ele, disse que sabia onde estávamos, e que iria atras de mim, com a Garda (a polícia da Irlanda)! Ele fugiu. Queria contar com mais detalhes, mas depois que ele fugiu, tudo virou um borrão! Eu lembro que não demorou muito para minha host chegar, e depois veio a Garda… Eu lembro que eu chorava muito, e estava machucada, por que ele tinha me batido, daqui a pouco todos os olhos se voltaram para Ra, que foi levada pro hospital também! 

 

Minha host teve uma atitude que eu não esperava, ela ficou comigo o tempo inteiro, foi fazer o boletim comigo, os exames comigo, ficou como minha total responsável para a polícia, deu assistência para a minha amiga... Depois que tudo passou resolvi que iria voltar para o Brasil e minha host teve uma conversa séria comigo, disse que eles precisavam de mim, que o intercâmbio era um sonho e que eu não deveria desistir, conversamos muito sobre isso, eu tinha muita vergonha de olhar pra ela, por que, se coloquem no meu lugar... Imagine, sua host chegar, numa casa, ver sua amiga machucada de tanto apanhar, ver você machucada e se envolver totalmente no problema! Eu não tinha cara pra olhar pra ela... Pedi uns dias pra pensar melhor, e resolvi que iria ficar. 

 

Ra voltou pro Brasil assim que teve alta. A gente chegou a conversar, muito pouco, ela me pediu desculpa… Eu perguntei pra ela o que tinha acontecido e ela não quis me dizer, ela só queria voltar pra casa… Eu acho, que no fundo, não queria saber mesmo o que ela passou! Não temos mais contato. 

 

Sobre o Rogério, o nome dele, não era Rogério, depois que tudo passou, descobrimos que não tínhamos nada dele, nada que comprovasse quem ele realmente era!

 

 Hoje, estou no Brasil, e eu sei que ele foi preso, por um outro crime bem mais bárbaro… Eu ainda choro, pela vítima, pela minha amiga e por mim, por que poderia ser eu, ser nós! 

Vim com toda a coragem do mundo pra dizer pra vocês... CUIDADO! Não confiem numa pessoa, só por que ela é da mesma nacionalidade que você! Não vá pra encontros sem deixar alguém ciente do que você planeja fazer e pra onde você vai! Aprenda que em outro país, não somos ninguém! As leis não são iguais pra você! 

 

Obrigada Pri, por deixar com que eu viesse, e contasse minha história! Ninguém da minha família sabe, nem amigos do Brasil, era uma coisa que queria guardar e não mexer mais, por que dói! Mas Deus me livre alguém passar por isso, então resolvi falar. Um beijo gente, e que Deus sempre guarde vocês.

 

 G.B"

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Sobre Mim

Priscila Sanches, aquariana de 27 anos que mora em Montreal, CA.

  • YouTube - Black Circle
  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
Posts Em Destaque

REVIEW SINCERA - Curso de Francês online

March 27, 2019

1/3
Please reload

Posts Recentes

November 25, 2017

Please reload

Instagram
  • YouTube - Black Circle
  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Google+ Black Round
  • Facebook Black Round
  • Twitter Black Round

© Priscila Sanches

 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

Para anuncios entre em contato comigo!