Um caso entre Au Pair & Host Dad [+18]

November 11, 2016

O “Segredos de Intercambista” é um espaço criado por Priscila Sanches para que você possa compartilhar a sua história e assim ajudar e alertar outras pessoas! 

 

Para enviar ANONIMAMENTE a sua historia, clique aqui!

 

HISTÓRIA #3 - Um caso entre Au Pair & Host Dad  [+18]

 

"O processo de Au Pair desde do começo foi fácil pra mim, a minha agencia é umas das mais conhecidas em São Paulo, e meu processo também foi muito rápido! Fiquei online em Janeiro de 2015 e tive match 16 dias depois. Minha host family estava planejando minha chegada pra dia 03 de Fevereiro, mas como fevereiro é mês de Carnaval (Todo mundo sabe que Brasileiro ama carnaval.) Eu inventei algumas desculpas sobre visto e documentação e então minha viagem prolongou pro final de mês de Fevereiro. Curte bastante com meus amigos em Salvador e logo após viajei com destino a New Haven - Connecticut. 

 

Chegando na primeira semana de treinamento foi tudo muito bom e lindo, conheci pessoas que até hoje eu converso e tenho contatos via Skype. Depois peguei meu voo para então a grande chegada na minha host family e chegando lá a recepção foi incrível, gostei muito da casa e do meu quarto. 

 

Os primeiros dois meses foram bem legais e rotineiros, as crianças eram bem educadas e obedientes (eram duas). Realmente era um trabalho fácil. Nos dois primeiros meses eu tirei algumas conclusões. Era um casal muito novo, host dad com 33 anos e host mom com 31 anos. Eles eram um casal adorável, e a host mom era umas das mais bonitas americanas que eu já tinha visto na vida. O host dad também era bonitão e corpo completamente definido, afinal ele era loucão por academia (a host mother também) e eles tinham 4 academias ao redor de Connecticut e mais 4 em Nova York. 

 

O hosto dizendo que eu estava tendo uma vida sedentária e eu comecei a frequentar a academia no meu tempo off e fazer exercícios com ele quando ele estava em casa a host mom também fazia conosco. Era um clima amigável e relaxado. No quarto para o quinto mês eu percebi que o host dad queria saber mais sobre mim e sobre minha vida, ele realmente estava interessado em saber mais e a gente conversar e tínhamos conversas maduras. Eu elogiava a host mom para ele, dizendo que tinha sorte em encontrar alguém tao linda como ela, por que era ela realmente muito gata. 

Alguns semanas foram passando e a host mom disse que ela tinha que viajar a Nova York por que outra academia iria inaugurar e ela teria que prepara tudo e que ficaria em torno de 5 a 7 dias fora! Ela levou o menino mais novo de 3 anos na viagem e a mas velha,que havia quebrado o braço,  iria passar um tempo na casa da avo em Milford (porque seria aniversários dos primos em Milford).

 

 Ficamos eu e o host em casa sozinhos por 7 dias. Ele trabalhava de manha e de tarde e voltava e bebia cerveja até de madrugada. No segundo dia que estávamos sozinho, ele virou pra mim e disse claramente: "Eu sei que pode parecer estranho, mas não é big deal e você não precisa ficar com vergonha, senão quiser eu lhe respeito e nada vai mudar, sou homem e sou maduro, estou lhe falando que nada vai ficar estranho mas preciso tentar. 

 

Você quer? (Colocando minha mão no penis semi ereto dele...) 

 

Eu disse: Eu nunca fiz isso antes. Ele começou e abaixou minha cabeça de vez e eu não fiquei com nojo, e quando menos percebi eu estava fazendo sexo oral no meu host dad.

 

 Quando acabamos ele sai para meu quarto com muita raiva e repulsa, no momento foi bom mas quando passou veio a consciência e eu tava com muita repulsa mesmo. No outro dia, como se nada tivesse acontecido, ele realmente se comportou exatamente do mesmo jeito de sempre. E na mesma noite ele disse que eu fazia muito bem e que queria experimentar outras coisa, eu disse que não... Até a hora que eu fiquei contemplando ele malhar no quintal da casa somente com short e sem cueca, fiquei observando aquele corpo, aquele homem maduro, cheiroso e ainda potencialmente viril...  

 

Tentei fazer com que ele me pergunta-se de novo, mas ele não perguntou. Logo em seguida comecei a beber a cerveja junto a ele na sala... Eu olhava pra ele e ele olhava pra mim até que ele finalmente falou: "Eu não vou mais lhe pedir nada, agora você tem que implorar pra mim, sou muito orgulhoso e riu (não perdendo a simpatia e não se achando ou algo do tipo...). E eu, com todas as letras literalmente falei eu queria de novo... Ele disse que era pra mim subir pro quarto e tirar as roupas e assim eu fiz, eu tava com o corpo tremendo. 

 

Quando ele chegou a gente fez de tudo, eu senti tanta dor mistura com muita adrenalina, ele me batia e chupava meu ouvido meu corpo e ele falava (You're my little secret baby) e isso se repetiu todas as noites, até que a host mom voltou da viagem... Na ultima noite que tivemos juntos, eu ele fizemos sexo, e ele me disse que não iríamos mais fazer até tivéssemos outra oportunidade, ele me elogiou dizendo que eu o surpreendi porque nunca tive experiência e fazia muito bem... 

Infelizmente meu pai veio a falecer e eu tive que voltar pro Brasil pra apoiar minha família, mas ontem ele me enviou uma mensagem: "Nosso Au Pair irá embora em junho de 2017, você quer vim Rafael?"

 

Sim! Eu sou homem e só queria dizer a vocês que tesão não tem género e eu ainda estou assustado.

 

Grande beijo e obrigado por ler o meu segredo!"

 

ATUALIZADO:

 

Depois de receber muitas criticas e suspeitarem da veracidade dos fatos da historia de "Rafael", ele me mandou outra mensagem e pediu para repassar aos leitores:

 

"Oi Priscila! Eu acredito que a história tomou uma grande proporção, meu nome não é Rafael, eu acredito que você saiba disso, foi um nome criado por mim para compartilhar essa história. Não tenho motivos nenhum para expor algo aqui que não seja real, eu apenas quis compartilhar algo que mudou de certa forma minha visão e minha vida. Eu gostaria que se possível fosse você ou alguém que você queria escalar pra isso postasse no grupão o que eu tenho pra falar. Primeiro de tudo eu não sou escritor, não tenho total domínio da gramática portuguesa brasileira e a minha intenção não escrever uma texto perfeito, porque eu não tenho capacitancia para isso. Segundo eu não me orgulho disso, isso ainda fere minha sexualidade e terceiro eu não irei voltar porque eu não quero e não posso, o J1 precisa de um prazo de carência. Eu não consigo me imaginar com outro homem, ou fazendo as coisas que eu fiz e deixei fazerem comigo como aconteceu com host dad, eu não olho pra homens na rua, eu não desejo eles, eu não procuro por homem. O meu desejo e meu comportamento foi apenas nele e isso não determina se eu sou gay ou não. Eu consigo sentir atração por varias meninas na rua, no metro, na faculdade, porém eu não consigo sentir atração por nenhum homem, apenas o host dad. Meu objetivo com o meu relato não foi fazer as pessoas questionarem certo ou errado, mentira ou verdade, duvidas e tal, o motivo do meu relato é mostrar que isso é uma verdade latente no programa de AuPair! Vocês são extremamente inocente, mas isso acontece muito muito mesmo, talvez sua amiga AuPair esteja tendo um caso com seu host dad e ninguém sabe so eles dois. Isso não é raro de acontecer, isso não é fora de cogitação, isso é uma realidade. Uma realidade que acontecesse frequentemente. As vezes a iniciativa é do AuPair sendo homem ou mulher, e as maiorias das vezes são dos próprios hostos(as). Me desculpe se ofendi alguém com esse relato, na verdade eu fui verdadeiramente um canalha, não medi as consequências e apenas fiz o que eu tive vontade. Mas esse fato ja passou, mas saiba que isso é frequente e secreto que eu tenho certeza que possa existe pelo menos umas 50 relatos como o meu com meninas ou meninos AuPair. Sua cabeça vira e eu não estava me dando conta que eu estava deitado com homem, eu não consegui lembrar de sentir nojo eu não conseguir lembra de certo ou errado, preconceito ou não, eu não consegui imaginar que aquilo era uma relação homoafetiva. Agora eu estou bem, isso faz uns meses. Eu vi muitos meninas ali comentando e praticando a hipocrisia, que ja também beijaram o hosto enquanto ele estava bêbado, que ja beijaram o hosto no carro e etc... Eu não estou aqui pra lhe julgar, eu sei que esse intercâmbio faz a gente ficar louca e eu peço que considere essa historia apenas uma experiência que não ira se repetir comigo novamente. Sim eu estou no grupão, pedi meu amigos pra postar esse texto porem eles acharam que não deveria por que possivelmente seria mais fácil de vocês acharem, tendo em vista que vocês são melhores do que os agentes do FBI. E eu apenas tenho receio que alguns de vocês achem minha host family e fale algo. Obrigado pelo espaço."

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Sobre Mim

Priscila Sanches, aquariana de 27 anos que mora em Montreal, CA.

  • YouTube - Black Circle
  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
Posts Em Destaque

REVIEW SINCERA - Curso de Francês online

March 27, 2019

1/3
Please reload

Posts Recentes

November 25, 2017

Please reload

Instagram
  • YouTube - Black Circle
  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Google+ Black Round
  • Facebook Black Round
  • Twitter Black Round

© Priscila Sanches

 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

Para anuncios entre em contato comigo!